Sunday, June 12, 2005

Xoxotas

Em Fogo nas Entranhas, uma divertida novela de Almodóvar, conta-se a história de um homem fadado a ser corno. Sina é sina. Nenhuma de suas parceiras conseguia fugir disso.

Contrariando a regra de que “todo castigo pra corno é pouco”, o pobre homem tem uma chance de vingar-se de seus algozes. E o faz tragicomicamente.

Dono de uma fábrica de absorventes, à beira da morte ele tem a brilhante idéia de colocar nos “modess” uma substância capaz de atear fogo às xoxotas. Literalmente. Arder, queimar.

A descrição das mulheres correndo pelas ruas de Madri com suas saias levantadas, mangueiras de jatos potentes apontadas para as próprias bucetas, na tentativa de findar o ardor, é hilária.

Você deve estar pensando: vingança, xoxota... Hitler! Claro! Ele mesmo, o homem do Reich, o demônio alemão!

Depois de infernizar o mundo com sua loucura nazista, a vingança de Hitler foi além de babacas juvenis com cabeças raspadas pregando o tal do “revisionismo histórico”.

Eu, um judeu digno, carregando na memória genética o sofrimento do meu povo, sou apunhalado pela vingança de Hitler numa das coisas que mais amo nesse mundo: a anatomia feminina.

Não é possível, não há cristão que agüente essa mania infeliz e broxante de padronizar xoxotas a partir do modelo do bigode do ditador alemão! Chega! Basta!

Perde-se o encanto. As deusas que outrora nos faziam lamber as páginas das revistas masculinas e quase esfolarmos nossas picas de tanta punheta, agora são todas iguais, um rosto a mais, uma a menos, tanto faz. Tudo igual!

Não estou pedindo que vocês mulheres, passem a cultivar parques florestais, tranças rastafari, resquícios de mata atlântica, não, esqueçam a Vera Fischer. Muito menos fazer da sua nobre xoxota um comercial do Cartoon Network, cheio de deseninhos, isso me dá crise de risos.

Ok, vocês estão livres para depilar seus tão requisitados cuzinhos, de verdade, nós agradecemos este ato de fé e piedade ao homem. Um cu cabeludo, realmente, não é nada interessante.

Mas por favor, esqueçam essa mania de medir dois dedos e meio, aparar dos lados, esqueçam o formato do bigode de Hitler, o V da vitória é algo consagrador. Deixem, deixem que seus pêlos cresçam um pouco mais, um toque de desleixo também é interessante, ingênuo até.

Se vai promover o desmatamento completo, fique à vontade, estamos aqui para esperar pacientemente o manejo da parte destruída, ou pros que gostam, cuidar carinhosamente da terra devastada.

Esqueçam as modelos da Playboy, abominem os desenhos infames, deixem que a coisa pareça o mais natural possível, sem esquecer de Caetano: “a sua coisa é toda tão certa”. Apenas um ar de desleixo, eu disse apenas um ar. A impressão que sua xoxota acabou de sair de uma linha de montagem é aterradora.

É um apelo, de um judeu que cansou de ver Hitler em cada página de Playboy.

4 Comments:

Blogger Pilar Fazito said...

Acho q os judeus não têm nenhum trauma contra bob marley, ou contra o último moicano... azul então, que maravilha! Com gliter ou sem?
rsrsrs

9:34 AM  
Blogger -sOliNo- said...

caraca... pegasse o gosto de marlos de aloprar nas palavras? :P

4:36 PM  
Blogger Patrício said...

hauhauhauahuahua. o estilo raspadinho é a melhor pedida. nooooossa!!!!!!

7:33 AM  
Anonymous Anonymous said...

Aprendi muito

7:33 AM  

Post a Comment

<< Home